5 de mai de 2011

In Memoriam :-(




Lá estava Ela, adormecida,
Em tão profunda palidez...
Pudera eu, não sentir em meus lábios,
A frieza de tua pele gélida...
Quisera que despertasse,
Ao tocar tuas mãos já tão sem vida...
Afortunada eu seria,
Se as lágrimas que de meus olhos caíam,
Pudessem te devolver à vida...

No vazio de minha particular solidão,
Enquanto te observava, ali, imóvel,
Suspensa, em sono tão profundo,
Podia ouvi-la...
Tua voz, gravada na memória,
Ao pronunciar meu nome de forma tão única...
Recordei o teu vívido semblante,
Revivi dias de luz e de rosas,
Ecos de um passado feliz,
Lembranças de minha tão doce infância...

Mais uma vez,
Meus olhos esvaíram-se em pranto,
Tão choroso e incontrolável pranto!
Querendo que despertasse,
De teu, eterno e infindável sono.
(by Metrílica)

In Memoriam de Antonia Gentil Lourenço (19/06/1925 ~ 30/04/2011+)